Setup Menus in Admin Panel

Home Office x Cervicalgia

Em atenção às recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), diversos trabalhadores de todas as áreas, iniciaram o chamado Home Office, que seria o trabalho executado em casa, assim como estudantes de todas as idades que passaram a participar de aulas on-line. Assim, todos aumentaram o período que permanecem sentados utilizando computadores.

A dor no pescoço (cervicalgia), é um distúrbio de alta prevalência e incidência em pessoas que permanecem longos períodos sentados à frente de computadores. A incidência anual de cervicalgia em trabalhadores de escritório pode chegar a 50%.

Estudos recentes mostraram que fatores individuais, aspectos psicossociais (níveis mais altos de tensão no trabalho e estresse psicológico) e traços físicos como comportamento postural em cifose global (postura curvada) e muito tempo sentado, associados podem aumentar o risco do desenvolvimento da cervicalgia.

Uma postura sentada mantendo as curvaturas fisiológicas da coluna, principalmente uma posição neutra do tórax, assim como nível de atividade física, postura e condicionamento muscular, foram associados a uma diminuição do risco de cervicalgia.

Muitos dos fatores de risco são potencialmente modificáveis, como estresse no trabalho, estratégias de enfrentamento, níveis de atividade física (tempo gasto sentado e andando), comportamento postural sentado e resistência muscular cervical.
Dicas:

Local de trabalho: mantenha o espaço favorável, confortável, bem iluminado e se possível, climatizado, evitando quinas nas mesas e apoios, de preferência utilizando estofados almofadados.

Comportamento Postural: sentar-se com a coluna lombar e torácica apoiadas, pequena flexão cervical com o terço superior do monitor do computador na altura dos olhos, mantendo flexão dos joelhos e os pés apoiados. Faça pausas regularmente para mudar de posturas e alongue-se. Mantenha-se ativo, movimente-se sempre!

Se for o caso, busque auxílio profissional para melhor enfrentamento psicossocial deste período de crise.

Jun et al. (2020) Human Factors and Ergonomics Society. @felipecamposfisio CREFITO 116897

16 de maio de 2020